Blitz News
Notícias
Esporte
Casagrande critica declarações sobre Felipe Melo

Casagrande critica declarações de jogadores do Palmeiras sobre Felipe Melo: "Não pode crucificar, ma

Data: 31/08/2018

Comentarista analisa entrevistas de companheiros do volante, e diz que jogador leva perigo aos rivais: "Quanto menos tempo jogar, menos risco os adversários têm de quebrar a perna"

A expulsão de Felipe Melo logo aos três minutos de jogo, que dificultou a vida do Palmeiras contra o Cerro Porteño na Libertadores - a equipe brasileira avançou às quartas mesmo perdendo em casa por 1 a 0 -, foi tema de debate do Troca de Passes desta quinta-feira. Casagrande, um dos integrantes da mesa, falou sobre o lance e as entrevistas dos outros jogadores palmeirenses após o jogo.

O comentarista criticou a postura de alguns, que saíram em defesa do volante e afirmaram que correram pelo camisa 30.

- Não vai mudar nunca o estilo do Felipe Melo. Se quando acontece isso, coloca em risco uma classificação tranquila, os jogadores saem falando que correram por ele... eles correram por eles (mesmos). Um a menos e tiveram que correr para caramba. Ninguém chega e fala que é inadmissível o jogador ser expulso com três minutos num jogo importante.

Casão acredita ser possível que um jogador deixe o campo e critique o companheiro após uma situação como a de Felipe Melo.

 

- Por que não? Não com o fervor que estou dizendo, mas dizer que o Felipe Melo foi irresponsável. Em um caso desse, não pode crucificar o cara, mas tem que expor uma situação que não foi certa. Ninguém sabe o que aconteceu lá dentro, então tem que ter uma palavra de um jogador, treinador ou dirigente que seja coerente com a situação real.

 

O comentarista ainda analisou o risco que o jogador palmeirense leva aos adversários quando entra em campo.

- Que fazer isso, que vá lutar MMA. No futebol, isso não existe. Nem na rua, descalço. Que vá expulso sempre. Vai ficar um tempo sem jogar, se voltar e fizer isso de novo, que seja expulso. Quanto menos tempo o Felipe Melo jogar, menos risco os adversários têm de quebrar a perna - concluiu.

Publicidade