Blitz News
Notícias
Entretenimento
Google remove 39 canais do YouTube

Google remove 39 canais do YouTube por campanhas de desinformação

Data: 24/08/2018

Após o Facebook remover páginas que atuavam em conjunto para influenciar eleições, o Google adotou medidas parecidas. A empresa anunciou nesta quinta-feira (23) que removeu 39 canais no YouTube ligados ao canal estatal iraniano IRIB (Islamic Republic of Iran Broadcasting).

Eles atuavam em conjunto para influenciar o cenário político dos Estados Unidos, do Reino Unido e de países da América Latina e do Oriente Médio. Somente os vídeos voltados para os EUA tinham cerca de 13 mil visualizações no país.

O Google também encontrou outros seis blogs no Blogger e 13 contas no Google+ relacionadas à IRIB. “Os atores envolvidos com esse tipo de operação de influência violam nossas políticas e nós rapidamente removemos esse conteúdo dos nossos serviços e encerramos suas contas”, afirmou a empresa.

A atividade coordenada acontece o menos desde janeiro de 2017. De acordo com o Google, vários indícios ajudaram a confirmar o envolvimento entre as contas. A companhia disse que os dados técnicos, as informações de propriedade de domínio, os metadados e as informações de inscritos estavam “fortemente vinculados” à IRIB.

Assim como o Facebook, o Google contou com a ajuda da FireEye, uma empresa de segurança digital que identificou algumas contas suspeitas. Inicialmente, a companhia indicou a existência de três contas de e-mail, três canais no YouTube e três contas do Google+ que poderiam ser investigadas.

Por meio de um trabalho conjunto realizado nos últimos dois meses, as empresas chegaram às demais contas. Elas também comprovaram a realização de tentativas de ataques por phishing que miravam campanhas políticas, jornalistas, ativistas e acadêmicos em todo o mundo.

O Google diz ter informado as autoridades sobre os resultados da investigação e detalhado sua ligação com o conteúdo político nos EUA. A empresa lembra que esta não foi a primeira campanha do tipo patrocinada por um governo.

Em 2017, ela descobriu uma ação ligada à Internet Research Agency (IRA), órgão ligado ao governo russo. A campanha visava espalhar informações enganosas durante a campanha presidencial americana de 2016 e foi realizada tanto em serviços do Google, quanto no Facebook.

Depois da investigação, o Google removeu 42 canais no YouTube, que contavam com 58 vídeos políticos em inglês. “Desde então, continuamos a monitorar nossos sistemas e ampliamos o leque de atores relacionados ao IRA contra os quais tomamos medidas”, afirmou a empresa.

Publicidade