Blitz News
Notícias
Saúde
A importância da Musculação para Artrose

A importância da Musculação para Artrose

Data: 06/07/2018

A Musculação para Artrose tem sido pauta das últimas notícias e pesquisas médicas. A doença é extremamente debilitante, destruindo os tecidos e impedindo o movimento na sua forma plena.

Porém, embora haja todo o quadro preocupante em relação à artrose, a verdade é que existe tratamento e que ele pode transformar a vida dos pacientes para melhor. Um desses tratamentos conhecidos há anos é o exercício físico constante.

E hoje em dia, sabe-se que, além de exercitar-se, o paciente pode e deve praticar atividades de musculação para gerar o efeito contrário da atrofia – a hipertrofia.

Por esse motivo, separamos tudo que você precisa saber sobre esse assunto! Falaremos sobre as indicações para diversas partes do corpo e dos cuidados gerais necessários para evitar complicações. Confira mais abaixo o que separamos!

 

A importância da Musculação para Artrose

Antes de mais nada, precisamos explicar que a musculação para artrose tem sido recomendada como uma forma de auxiliar a diminuir os sintomas da doença – porém, isso deve ser feito com cuidado e acompanhamento médico.

O primeiro ponto que faz com que o exercício seja importante para o tratamento da doença é o fato de que a musculação pode gerar maior ganho de massa muscular. Além disso, podemos citar outros benefícios:

A musculação para artrose pode ser praticada sem a necessidade de aptidão prévia. Outro benefício é que o exercício não causa tanto esforço ao coração – como é o caso dos aeróbicos de alta intensidade. A artrose causa o que chamamos de atrofia. Já a musculação traz o efeito contrário: a hipertrofia. Sendo assim, a força muscular é fundamental para trazer mais qualidade de vida ao paciente – como também a perda de peso e de gordura. [1] Quem tem artrose pode fazer academia?

Quem tem artrose não só pode fazer academia como estudos recentes indicam que os exercícios são fundamentais. Quem passa pela doença sabe que essa é a primeira indicação médica. Porém, a novidade, como falamos mais acima, é a importância da musculação para a artrose.

Além dos benefícios que citamos, a academia pode ajudar a trazer o que chamamos de rigidez muscular, diminuindo as quedas e as dores comuns dos pacientes.

Vale sempre lembrar que todo exercício físico deve ser acompanhado por um profissional e que o seu médico precisa saber quais serão eles. Separamos alguns deles para diversos tipos de artrose:

 

Musculação para artrose cervical

Para quem tem artrose cervical, alguns exercícios de coluna e de peito podem ajudar a diminuir os sintomas.

Musculação para artrose no ombro

A musculação para artrose no ombro também passa pela mesma premissa. Exercícios em aparelhos são os mais indicados – sempre com o peso mais leve, aumentando conforme a evolução do paciente. Treinos de ombro costumam ser simples e fáceis de executar.

Musculação para artrose no joelho

Já nos joelhos, exercícios de perna e até mesmo bicicleta pode ajudar a diminuir os sintomas. Além disso, os agachamentos também podem ser recomendados para esse tipo de problema. No geral, o joelho exige exercícios bem direcionados e com peso leve – aumentando conforme a melhora do paciente.

Musculação para artrose na coluna

Assim como no caso da cervical, a musculação para artrose na coluna pode envolver exercícios de peito e exercícios de braço. Alongamentos e treinos funcionais ajudam bastante também nesses casos.

Musculação para artrose no quadril

A musculação para artrose no quadril pode envolver agachamentos esporádicos e também musculação em todos os músculos do corpo, como ombros, peito e coluna.

No geral, o mais indicado é que o paciente faça séries em vários músculos – evitando que um fique mais trabalhado do que o outro. Mesmo que o seu tipo de artrose seja específico, a dica principal é fazer um treino generalizado.

Em relação aos exercícios aeróbicos, o cuidado deve ser redobrado, especialmente quando falamos de pacientes idosos. Isso porque a musculação exige menos do sistema cardiovascular, diferente de exercícios como corrida e até simples caminhadas. Esse é mais um dos motivos que tornam a musculação para artrose uma boa pedida.[2]

Por fim, a dica é que você converse com o seu médico e com seu treinador físico para que ele saiba das suas limitações e também das suas reais necessidades. Em caso de dores, pare o exercício imediatamente.

Quem tem artrose pode fazer agachamento?

Assim como explicamos mais acima, quem tem artrose no joelho pode fazer agachamentos – inclusive, algumas vezes eles são indicados pelos médicos de maneira direta. Mais uma vez, lembramos da importância do acompanhamento profissional e do tratamento correto.

Jamais faça agachamentos em casa sem indicação. O risco de lesão para pacientes com artrose é muito maior e pode causar problemas sérios.

Quem tem artrose pode andar de bicicleta?

Sim! Quem tem artrose pode e deve fazer exercícios como andar de bicicleta – especialmente quem tem artrose nos joelhos. Como falamos ao longo desse texto, toda atividade física vale a pena para quem tem a doença. Obviamente, a indicação é começar aos poucos, sempre evitando excessos – subir morros, por exemplo, deve ser feito com cuidado e sempre com orientação de um profissional.

Além disso, as bicicletas ergométricas também merecem cuidado especial. Ao aumentar o peso, o paciente com artrose deve seguir recomendações e ficar de olho nas dores que pode sentir depois do exercício. Começar aos poucos é o segredo!

 

Para finalizar…

A musculação para artrose é essencial para quem quer ter uma vida mais saudável e feliz. Porém, jamais esqueça da importância de procurar indicação médica e de seguir seu tratamento corretamente antes de começar as séries.

Além disso, na academia, o auxílio de um professor é ainda mais importante – jamais faça exercícios sem orientação ou sem o devido cuidado com o excesso. Procure sempre respeitar o seu corpo e os seus limites para garantir a melhora dos seus sintomas!

E não esqueça: comece com pesos mais leves e aumente aos poucos – em um limite máximo de acordo com a recomendação do seu médico.

Publicidade