Blitz News
Notícias
Saúde
Faz mal dividir a escova de dentes com o parceiro?

Usar a mesma escova de dentes que o namorado faz mal?

Data: 05/06/2018

Sua escova de dentes, seus germes. Nossa boca abriga mais de 500 espécies de bactérias, e um único mL de saliva contém milhões delas. A colonização da boca por bactérias faz parte da nossa saúde e é algo com o que sempre vamos conviver. Companheirismo faz bem, mas cuidado na hora de compartilhar: nem tudo deve ser de uso conjunto.

Apesar de toda as pessoas terem essa coleção de bactérias, e de casais terem um acervo bastante semelhante, devido à troca de saliva durante os beijos, o melhor é evitar dividir a escova de dentes. A escova pode estar repleta de microorganismos, como o vírus Herpes e a Candida albicans. Sofia Takeda Uemura (CROSP 29761), membro do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), explica que essas bactérias e vírus podem ser transmitidos para outra pessoa por meio da escova. “Isso se chama infecção cruzada. Não significa que a pessoa vai ter alguma disfunção por causa disso. Para que as doenças progridam, é preciso uma série de outros fatores além da colonização bacteriana, como uma queda na imunidade ou alguma alteração no estado de saúde. Mesmo sendo raro o desenvolvimento de patologias, é melhor não compartilhar a escova”, recomenda a profissional.

Se a troca de bactérias e a possibilidade de desenvolver doenças não foram argumentos suficientes para abandonar a escova do amado (ou amada), aqui vai uma informação poderosa: vestígios de alimentos também podem ficar nas cerdas do objeto. Com certeza, o resto mastigado da refeição do parceiro não é item de nenhuma dieta.

Outra dica: cuidado para não compartilhar o local em que a escova fica guardada, porque mesmo que você não use o objeto do parceiro, a contaminação pode ocorrer pelo contato entre as cerdas. Nada de manter aquele copo de escovas no armário: se uma encostar na outra, as bactérias podem passear entre os objetos. “O ideal é que, após utilizar a escova de dentes, ela seja lavada em água corrente, sem utilizar os dedos, e seca com batidinhas. Se possível, o indicado é ainda passar um enxaguante bucal e guardá-la em local seco com algum tipo de proteção, como capinhas para cerdas, desde que estas também sejam bem higienizadas”, explica a dentista.

Publicidade