Blitz News
Notícias
Notícia
Rússia faz "limpeza" nas ruas para a Copa do Mundo

Rússia "some" com cachorros de rua e faz "limpeza" para a Copa do Mundo

Data: 04/06/2018

Faltando poucas semanas para a Copa do Mundo 2018, a Rússia já se preocupa em causar uma boa impressão para os turistas estrangeiros que irão acompanhar o grande evento esportivo. Como? “Se livrando” dos milhares de cães que moram nas ruas do país. Alguém disse “boa impressão”?

De acordo com o site DW, especialistas calculam que existam entre 400 mil e 2 milhões de cachorros, principalmente vira-latas, nas ruas da Rússia. Segundo a ativista Helena Ivanova-Werchovskaya, as autoridades planejavam levá-los para abrigos temporários. “Os cachorros seriam recolhidos, esterilizados, abrigados e, depois da Copa do Mundo, de novos soltos. Isso era o que se dizia há dois, três meses“, afirma. A ativista também trabalha na Câmara Pública de Moscou, onde coordena um grupo de vigilância dos cachorros abandonados na rua.

No entanto, apenas três das onze cidades que receberão a Copa possuem abrigos para animais de rua. Uma quarta cidade, Kaliningrado, está construindo um. Ainda assim, os abrigos existentes têm número de vagas limitado e estão superlotados. De acordo com Helena, as condições também não são adequadas. “Muitas vezes não há água. As gaiolas são velhas construções de madeira e precisam ser constantemente reparadas. Só há dinheiro para pequenos consertos, mas isso não basta”, diz.

Para piorar ainda mais a situação, se é que é possível, a ideia de levar os animais para abrigos só surgiu depois que muitos deles foram massacrados. Em janeiro deste ano, Vladimir Burmatov, chefe do comitê de proteção ambiental da Câmara baixa russa, falou sobre o caso para o jornal Parlamentskaya Gazeta. “Recebemos muitas petições de ativistas de direitos dos animais e cidadãos solidários que afirmam que os cães estão sendo baleados em massa e sendo submetidos à eutanásia em várias cidades-sede da Copa do Mundo”, disse. Em uma carta oficial enviada ao ministro dos Esportes, Pavel Kolobkov, Vladimir pediu que utilizassem métodos humanitários para melhorar a imagem do país sem acabar com a vida dos animais.

Entretanto, ativistas alertam que editais nos sites de autoridades russas dizem que os animais abandonados não devem mais ser apenas “recolhidos, esterilizados e abrigados”, mas também “recolhidos, transportados e eliminados“. Segundo a ativista Viktoria Pavlenko, na maioria das vezes os cães são mortos já na captura ou são sedados ainda durante o transporte.

Grupos ativistas seguem fazendo manifestações para que os cães de rua sejam salvos, mas nada foi feito. Milhares de cachorros estão abandonados nas ruas da Rússia há anos e só agora as autoridades prestaram atenção neles – infelizmente, da maneira mais errada e menos humana possível. 

Publicidade