Blitz News
Notícias
Notícia
Brasil está entre os piores países em conexão 4G

Brasil está entre os piores países em conexão 4G do mundo

Autor: Pedro Campos Data: 07/06/2017

Usar a internet pela rede móvel do celular, no Brasil, não é tarefa fácil. Pelo menos é o que indica o mais recente relatório da OpenSignal sobre o estado das conexões 4G ao redor do mundo. Nele, o nosso país não aparece muito bem.

Segundo o estudo, o Brasil é um dos países com menor disponibilidade de 4G no mundo. Os usuários brasileiros só conseguem se conectar à internet móvel de alta velocidade em 55% das tentativas, o que nos coloca na 70ª posição de um ranking com 75 países.

Como comparação, o Brasil está atrás de países como Guatemala, Cazaquistão e Irã. Nosso país só supera a disponibilidade do 4G no Paquistão (onde o acesso acontece em 53% das tentativas), Filipinas (52%), Irlanda (49%), Equador (41%) e Sri Lanka (40%). Isso quer dizer que, nas outras tentativas, só se consegue acesso a redes 3G ou 2G.

Na outra ponta do ranking, porém, estão nomes mais previsíveis: Coreia do Sul, o país que também tem a internet mais rápida do mundo, aparece em primeiro lugar em disponibilidade de 4G. Por lá, as pessoas conseguem acessar a rede em 96% das tentativas. A lista segue com Japão, Noruega, Estados Unidos e Hong Kong completando os cinco primeiros lugares.

Além disso, a velocidade do 4G brasileiro também não é das melhores. Segundo o OpenSignal, conexões móveis de quarta geração no Brasil são de 19,32 megabits por segundo (Mbps), em média, o que nos coloca na 47ª posição do ranking global. Estamos atrás de alguns vizinhos sul-americanos, como o Peru (43º) e o Equador (33º), mas melhores do que Chile (49º) e Argentina (67º).

No topo do ranking, a figura não muda muito: Singapura em primeiro lugar, com conexões 4G de 45,62 Mbps, em média. Logo em seguida aparece a Coreia do Sul, com 4G de 43,46 Mbps. Hungria, Noruega e Países Baixos completam os cinco primeiros lugares da lista. O estudo teve como base as conexões de 558.260 usuários em 75 países, entre o primeiro dia de janeiro e 31 de março deste ano.

Fonte: olhardigital.com.br

Publicidade